Serões Musicais na Pena desmentem que “De Espanha, nem bom vento nem bom casamento”

0
35

O quarto programa dos Serões Musicais no Palácio da Pena, a apresentar nos dias 23 e 24 de março, propõe a redescoberta do intenso intercâmbio musical entre Portugal e Espanha, durante o século XIX e início do seguinte. A ilustrá-lo, a soprano Sónia Alcobaça e o tenor Mário João Alves, acompanhados ao piano por João Paulo Santos.

O ditado popular português “De Espanha, nem bom vento, nem bom casamento” dá o mote para este fim de semana de Serões Musicais. Ora, o programa que será apresentado no Salão Nobre do Palácio, nos dias 23 e 24 de março, às 21 horas, contraria esse famoso dito e demonstra as profícuas relações culturais verificadas entre Portugal e Espanha, grosso modo entre 1850 e o primeiro terço do século XX.

O título completo do programa destas noites é “‘De Espanha, nem bom vento…’: o mundo musical ibérico entre o romantismo e a Belle Époque” e nele se evocam, quer os músicos espanhóis que se apresentavam em Portugal, quer os seus congéneres portugueses que atuavam um pouco por todo o território do país vizinho. Autores como Manuel García, Gioacchino Rossini, Francisco Barbieri, Alexandre Rey-Colaço ou João Arroyo figuram nesta ilustração do mundo musical ibérico dessa época.

Este programa foi elaborado em conjunto por João Paulo Santos e pela musicóloga Luísa Cymbron, professora na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e investigadora especializada no repertório vocal oitocentista que circulou em Portugal. Intérpretes serão a soprano Sónia Alcobaça e o tenor Mário João Alves, dois cantores líricos com presença regular no palco do Teatro São Carlos.

O ciclo Serões Musicais no Palácio da Pena é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal (CEMSP), tendo por diretor artístico o maestro Massimo Mazzeo. Os “Serões Musicais” iniciam a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, a qual inclui ainda, em julho, os “Reencontros – Memórias musicais no Palácio de Sintra”, e, em outubro e novembro, o ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”.

Informações úteis:

Preço de bilhete por concerto: 10€
Capacidade do Salão Nobre: 80 lugares
Locais de venda: Bilheteiras da Parques de Sintra, FNAC, Worten, El Corte Inglés, Altice Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.
Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt
M/6