Aline Castelo

0
49

Quem é a Brasileira a conquistar Portugal discutindo relacionamento, amor e sexo na televisão 

Aline entende tudo sobre relacionamento, amor e sexo. No Brasil, ela é um fenômeno no youtuber com quase 1 milhão de seguidores. Com seu jeito divertido para abordar temas sobre relacionamento, amor e sexo, a jornalista acabou caindo nas graças dos portugueses. Preste a completar dois anos em terras lusitanas, Aline Castelo Branco já ajudou muita gente a repensar suas relações conjugais. Comandou rubrica no reality show Love On Top (TVI), participou da Manhã CM (CMTV) e conseguiu ter um programa só dela na televisão portuguesa, o Pela Fechadura, discute a Educação Sexual. Nesta entrevista à Revista Viva, a apresentadora fala como é para uma brasileira, romper tabus em um país tão conservador. 

Revista Viva Sintra: A sua história de vida é uma inspiração para muitas mulheres. Você começou a abordar temas tão complicados na vida conjugal por causa de um trauma que viveu? Inclusive, contou isso em seu primeiro livro.  

Aline Castelo: Sim, na verdade, assim como toda mulher, eu vivi uma relação passada falida. Era mal tratada, traída, não me sentia amada, ele não me dava prazer e mesmo assim fiquei nessa relação insatisfatória por 4 anos. Até o dia em que acordei e disse: não vou mais me permitir a isso. Na época eu trabalha em uma emissora de rádio e apresentava o programa voltado para mulheres, cheguei na frente do microfone e comecei a desabafar a minha história e foi um sucesso. Foi nesse momento, entendi a minha missão: ajudar as pessoas a melhorarem suas vidas e suas relações. 

R.V.S: E como surgiu sua ligação com Portugal? 

Então, quando descobri que precisa entender mais sobre a mente humano, fui estudar sexualidade. Fiz ainda no Brasil, um mestrado em Educação Sexual, minha pesquisa sobre preliminares, repercutiu e fui chamada para dar entrevista no programa de Jô Soares, na época estava trabalhando na emissora concorrente (Record), e por isso, tive de pedir demissão para participar do programa na Globo. Depois dessa entrevista, desempregada, tive que me reinventar. Decidi fazer um doutoramento e o país escolhido foi Portugal. Por isso estou aqui. 

R.V.S: Você chegou aqui revolucionando a comunicação. Tem sido uma presença constante em  vários meios de comunicação. Foi fácil, para uma brasileira conquistar um espaço em outro país? 

Aline Castelo: Fácil? Nunca é. Quando cheguei tinha em mente uma única coisa: vou organizar a vida amorosa dos portugueses. Queria atingir um número grande de pessoas e só conseguiria através de um meio de comunicação. Como sou jornalista de TV, comecei procurando os diretores de todas as emissoras do país. Enviei exatamente 150 emails, ninguém me dava retorno. Bati em várias portas entregando currículo também. Depois de  3 meses, recebo um email do diretor da CMTV me convidando para uma reunião. Fiquei por alguns meses fazendo participações no programa Manhã CM, com o Nuno e a Maya.  Depois fui chamada para fazer uma participação no Love On Top 6, até que um dia, recebo outro email da direção do Canal Q me chamando para uma reunião. Foi ai que surgiu o convite para apresentar o Pela Fechadura. 

R.V.S: Como foi a ideia de criar um programa sobre educação sexual no Canal Q? 

Aline Castelo: Na primeira reunião eu apresentei a direção do Canal Q um modelo de programa que tinha feito no Brasil, eles adoraram, mas,  para Portugal não cabia, o público poderia não aceitar. Reestruturamos o modelo.  Foram seis meses para encontrar um nome, criar conceito, linha editorial e produção para nascer,  um talkshow onde recebo celebridades e especialistas. Também faço matérias na rua entrevistando pessoas e visitando lugares. Tem sido maravilhoso essa experiência. 

R.V.S: O retorno dessa primeira temporada tem sido satisfatório? Vem alguma novidade por ai? 

Aline Castelo: Está aqui em Portugal com esse projeto é um enorme desafio. Não é fácil abordar temas sobre sexualidade em um  país ainda bastante conservador. No entanto, penso que tudo na vida tem um propósito e o meu é promover a plenitude da vida amorosa e sexual dos portugueses, deixando-os ainda mais felizes. O “Pela Fechadura” tem uma linguagem acessível, divertida e muito conteúdo. Eu só tenho a agradecer as pessoas que me deram e me dão oportunidades aqui e ao público, tenho tido um retorno incrível, principalmente nas minhas redes sociais. Me sinto também representando essa comunidade brasileira que está aqui. É uma conquista de todos os imigrantes.  

R.V.S: Você agora será uma colunista da Revista Viva Sintra. Está preparada para mais um desafio? Como vai funcionar sua coluna aqui?

Aline Castelo: Estou sempre preparada. Sou movida por novidades e  desafios. Escrever para mim é uma paixão.  Na coluna vou contar casos, responder dúvidas, falar de amor, vida, paixões. Vai ter muito do meu olhar sobre as pessoas, o meu lado especialista vai está presente, de maneira leve e descontraída.  Vai ser uma relação de muito afeto com  as leitoras(os), espero que gostem! Como sempre digo: o bom da vida é Amar, Transar e Gozar.